Desequilibrados II

As vezes temos desejo pelo acorrentamento,
como se procurassemos no amor um jeito de sofrer.
E se não conseguimos marcar a ferro o coração,
Se não conseguimos legalizar o desejo,
Fingimos que nossa alma é uma sociedade anônima e ao mesmo tempo limitada.


COMPARTILHAR:

+1

Desequilibrados II

As vezes temos desejo pelo acorrentamento,
como se procurassemos no amor um jeito de sofrer.
E se não conseguimos marcar a ferro o coração,
Se não conseguimos legalizar o desejo,
Fingimos que nossa alma é uma sociedade anônima e ao mesmo tempo limitada.