O Frenesi Coletivo do Sendo Comum | BACKWARD

                 Quem me conhece sabe que fui casado por cinco anos, com uma mulher que eu amava muito, hoje já falecida.  Lembro-me das pessoas duvidando do que eu sentia por ela e do que ela sentia por mim. Lembro-me que as pessoas diziam que aquele relacionamento não ia dar certo, afinal "nenhum casamento da certo”. 
                Outras pessoas simplesmente não acreditam no amor, assim como eu não acredito em deus, to ok! É um direito da pessoa não acreditar no amor, assim como é um direito meu não acreditar em deus, mas uma coisa que penso, quando digo que não acredito em deus, é que deus não deixa de existir só porque eu não acredito nele, nem o amor que EU sinto por Alguém deixa de existir só porque Você não acredita.
                Existe um frenesi coletivo, mesmo de pessoas casadas, namoradas ou solteiras, que os relacionamentos não devam dar certo, parece que existe uma grande lei que impede que as pessoas se apaixonem, que as pessoas se amem, e como todo carnaval tem seu fim, usam o fim dos relacionamentos para justificar sua descrença no havia de verdadeiro, nas paixões, nos amores. O que vigora aqui é o senso comum, ‘amor não existe”, “ninguém é de ninguém” e as bobagens que as pessoas repetem automaticamente sem nem pensar no que estão falando.

                Que seja hipócrita essa minha fala, que seja somente o marketing da venda da imagem do bom moço, que seja eu o “falsário” o “mentiroso”, mas por favor, digam isso depois das provas irrefutáveis, irreversíveis e factuais que não sejam passiveis de muitas e evidentes máculas. E mesmo que isso vier acontecer, não era da sua conta.
COMPARTILHAR:

+1

O Frenesi Coletivo do Sendo Comum | BACKWARD

                 Quem me conhece sabe que fui casado por cinco anos, com uma mulher que eu amava muito, hoje já falecida.  Lembro-me das pessoas duvidando do que eu sentia por ela e do que ela sentia por mim. Lembro-me que as pessoas diziam que aquele relacionamento não ia dar certo, afinal "nenhum casamento da certo”. 
                Outras pessoas simplesmente não acreditam no amor, assim como eu não acredito em deus, to ok! É um direito da pessoa não acreditar no amor, assim como é um direito meu não acreditar em deus, mas uma coisa que penso, quando digo que não acredito em deus, é que deus não deixa de existir só porque eu não acredito nele, nem o amor que EU sinto por Alguém deixa de existir só porque Você não acredita.
                Existe um frenesi coletivo, mesmo de pessoas casadas, namoradas ou solteiras, que os relacionamentos não devam dar certo, parece que existe uma grande lei que impede que as pessoas se apaixonem, que as pessoas se amem, e como todo carnaval tem seu fim, usam o fim dos relacionamentos para justificar sua descrença no havia de verdadeiro, nas paixões, nos amores. O que vigora aqui é o senso comum, ‘amor não existe”, “ninguém é de ninguém” e as bobagens que as pessoas repetem automaticamente sem nem pensar no que estão falando.

                Que seja hipócrita essa minha fala, que seja somente o marketing da venda da imagem do bom moço, que seja eu o “falsário” o “mentiroso”, mas por favor, digam isso depois das provas irrefutáveis, irreversíveis e factuais que não sejam passiveis de muitas e evidentes máculas. E mesmo que isso vier acontecer, não era da sua conta.