Outro tipo de morte | BACKWARD


A morte sempre me causou um certo interesse, mas sempre que a via de perto fugia. Ainda não me dou bem com a morte.


calou a boca quando as palavras não vinham.
ficou em silencio quando o barulho o incomodava.
só os pensamentos tinham um "Q" de ação.
até o corpo entrou na onda do mórbido.
os olhos parados não revelavam haver vida naquele corpo.
o rosto pálido, fantasmagórico e assustador.
dava a entender que este jaz era morto.
ao mesmo tempo que parecia estar descansando.
com o olhar serio, calmo e sereno.
parecia também um corpo solitário pedindo ajuda.
ali ficou parado. tão parado que as formiguinhas...
fizeram no de abrigo.
pronto. tudo estava perdido.
morto. como só quem foi vivo pode estar.
o frio que o tomara agora era o frio comum dos falecidos.
detalhes. na morte ha detalhes a não serem revelados.
há coisas que todos nos já sabemos.
existem palavras a não serem ditas e nem escritas.
ações a não serem descritas.
nem seu começo.
nem seu meio.
nem seu fim.
dias depois nada havia ali.
a chuva, o vento, a natureza o carregaram.
de onde veio voltou.
do pó ao pó.

17 de outubro de 2005
COMPARTILHAR:

+1

Outro tipo de morte | BACKWARD


A morte sempre me causou um certo interesse, mas sempre que a via de perto fugia. Ainda não me dou bem com a morte.


calou a boca quando as palavras não vinham.
ficou em silencio quando o barulho o incomodava.
só os pensamentos tinham um "Q" de ação.
até o corpo entrou na onda do mórbido.
os olhos parados não revelavam haver vida naquele corpo.
o rosto pálido, fantasmagórico e assustador.
dava a entender que este jaz era morto.
ao mesmo tempo que parecia estar descansando.
com o olhar serio, calmo e sereno.
parecia também um corpo solitário pedindo ajuda.
ali ficou parado. tão parado que as formiguinhas...
fizeram no de abrigo.
pronto. tudo estava perdido.
morto. como só quem foi vivo pode estar.
o frio que o tomara agora era o frio comum dos falecidos.
detalhes. na morte ha detalhes a não serem revelados.
há coisas que todos nos já sabemos.
existem palavras a não serem ditas e nem escritas.
ações a não serem descritas.
nem seu começo.
nem seu meio.
nem seu fim.
dias depois nada havia ali.
a chuva, o vento, a natureza o carregaram.
de onde veio voltou.
do pó ao pó.

17 de outubro de 2005