Encontros com Morte

Decidiria que iria morrer. A morte que já é sabida por todos chegará em tudo, em mim e em você, porém eu decidi que a morte deve chegar em breve para mim, mas eu não saberia dizer não a ela, nem quero dizer, abriria a porta, lhe serviria uma cachaça e pediria que fosse mais rápida possível, pois desde que nasci ela está muita atrasada. Ela então me olharia, não diria nada e eu ficaria enfurecido com seu silêncio. Chegaria a implorar por sua atenção,mas seria isso que ela desejaria, minha humilhação diante dela. A Morte simplesmente não me atenderia, mas olharia para mim afiando a sua foice, marcaria comigo o dia que me mataria, chegaria no dia, apontaria a foice para mim e não me mataria, então eu choraria em sua presença, ela ficaria em silencio, me olhando com total desprezo e mataria meu vizinho, um grande amante da vida.
COMPARTILHAR:

+1

Encontros com Morte

Decidiria que iria morrer. A morte que já é sabida por todos chegará em tudo, em mim e em você, porém eu decidi que a morte deve chegar em breve para mim, mas eu não saberia dizer não a ela, nem quero dizer, abriria a porta, lhe serviria uma cachaça e pediria que fosse mais rápida possível, pois desde que nasci ela está muita atrasada. Ela então me olharia, não diria nada e eu ficaria enfurecido com seu silêncio. Chegaria a implorar por sua atenção,mas seria isso que ela desejaria, minha humilhação diante dela. A Morte simplesmente não me atenderia, mas olharia para mim afiando a sua foice, marcaria comigo o dia que me mataria, chegaria no dia, apontaria a foice para mim e não me mataria, então eu choraria em sua presença, ela ficaria em silencio, me olhando com total desprezo e mataria meu vizinho, um grande amante da vida.